3 de setembro de 2008

Life is a play

" Grito, choro, imploro... Mas ao mesmo tempo sinto-me como se seguisse um guião e constantemente me interrogasse sobre qual será a proxima fala, a proxima lágrima. 'É isto que é suposto eu fazer? É suposto eu reagir assim?' A seguir tu tentas abraçar-me e eu encolho-me como uma ave encurralada e ferida. Pronto. Agora sinto-me pior por tudo soar a falso do que por me estares a abandonar. Quando se fecha o pano? Sais porta fora e os soluços param instantaneamente. Levanto-me e procuro o comando da televisão. Sinto pena de ti... E de mim por ver que o buraco negro dentro do meu peito ja vinha a substituir o que deveriam ser sentimentos, quer bons, quer maus, há ja algum tempo. Sento-me, faço um zapping e suspiro, esgotada. Adormeço."

1 comentário:

Maguita disse...

Bons sonhos... porque na verdade tantas vezes a adormecemos acordadas e tantas vezes sofremos de olhos fechados... sonhamos e sentimos ... sentimos a falso, sentimos pena... mas sentimos!